Skip to content

Pensando numa viagem diferente com as crianças? Inhotim!

December 17, 2012

Inhotim surgiu pra mim como um nome em comentários no Facebook e em blogs de viagem; tomou forma quando vi a foto dos 3 fuscas que parecem um quebra-cabeça e virou um destino quando um feriado prolongado nos provocou:  mais 6 dias em São Paulo?

                Viagem decidida, 4 dias, iríamos a Belo Horizonte com o objetivo de chegar a Inhotim.

                Meu filho, JP, de 8 anos falava: -Ah mãe, Inhotim? Tudo bem. Mas vamos pra Ouro Preto também, né?

                Inhotim era o desconhecido para todos nós.  Referências,  as melhores: arte, arquitetura, jardins orientados por Roberto Burle Max… mas o que encontraríamos a 60km de Belo Horizonte?

                Em Inhotim as descobertas. Os caminhos que levam a sua entrada lembraram a primeira vez que vi as orelhinhas do Mickey a caminho da Disney, em Inhotim é uma alameda e uma sequência de palmeiras que de repente nos coloca na recepção. Recepção com R maiúsculo: uma construção envidraçada que nos dá as boas-vindas.  Pulseiras colocadas, mapa na mão … Em busca das galerias. Daí em diante uma surpresa atrás da outra: instalações visuais, sonoras, um palco para dançar.

                E, então, nós e JP começamos a entender Inhotim.  Mais um caminho a pé ou de carro elétrico, carona para os pavilhões mais distantes. Mais uma parada para ver os caxinguelês, as borboletas azuis, os pássaros.

 Os pavilhões fechados, integrados à paisagem, se transformavam em caixinhas de surpresa. JP girava a maçaneta e lá estava um trator, uma piscina, um grande colchão, o mar revolto, a sauna que parecia um labirinto e era só uma pintura.

A comida também agradou mas não deixei de sugerir que houvesse a possibilidade de fazer um piquenique, o que hoje não é permitido…uma pena, já que as áreas de descanso são lindas.

O céu azul estava lá e o sol de rachar fez valer o uso do carrinho elétrico, a ida ao pavilhão mais distante nos colocou em contato direto com o som da Terra ou Sonic Pavillion de Doug Aitken. Afinal tudo em Inhotim leva assinatura.

Inhotim

Foram muitas as obras, pavilhões e jardins vistos ao longo do dia que começou às 10h e acabou às 17h. Inhotim não cabe nem em uma e nem em muitas fotos, a gente tem que estar lá!

O pavilhão favorito do meu filho, que a pedidos tivemos que repetir, tem 5 instalações do Hélio Oiticica e o nome sugestivo de Cosmococas. Para JP foi uma grande viagem lúdica, a obra do artista alcançou o expectador e as obras em Inhotim fazem isto o tempo todo.

Inhotim é uma viagem e se você já levou seus filhos a qualquer um dos parques temáticos, leve-os a Inhotim, este um parque temático que aponta para o futuro do entretenimento com cultura e já está disponível para ser explorado aqui e agora.

***** Vera Rocha tem 43 anos de idade e é mãe de um menino de 7.  Foi sócia fundadora da Imaginarte Empório Lúdico de 2006 a 2012. É Geóloga pela USP, Mestre e Doutora em Riscos Geólogicos e Ambientais pela Escola Politécnica da USP. Ex- Pesquisadora do Instituto de Pesquisas Tecnológicas e Consultora.

No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: